Diversificação de investimentos: descubra como implementar essa estratégia!

Diversificação de investimentos: descubra como implementar essa estratégia!

Ao pesquisar sobre mercado financeiro, provavelmente você já se deparou com dicas sobre a importância da diversificação de investimentos. Essa estratégia é muito utilizada por investidores que querem mitigar riscos e compor uma carteira mais sólida no longo prazo.

No entanto, é importante saber como implementar essa prática corretamente. Não se trata de apenas escolher produtos financeiros, ativos e derivativos de maneira pontual. Afinal, isso pode levar a uma falsa diversificação, então é preciso ter mais atenção à estratégia.

Neste artigo, você entenderá o que é e como fazer a diversificação de investimentos. Continue a leitura e confira!

O que é diversificação de investimentos?

Diversificar investimentos significa alocar o capital em alternativas de diferentes setores, tipos e níveis de risco. O objetivo é evitar que o portfólio sofra perdas muito acentuadas por ter exposição mais direta a um ou poucos ativos.

Para facilitar a compreensão, imagine que todo o seu patrimônio está em um título público atrelado à taxa Selic. Se a taxa básica de juros passa por uma queda, todo o seu dinheiro passa a render menos. Logo, opções atreladas a outros índices, por exemplo, poderiam trazer mais equilíbrio.

Esse é apenas uma situação em que a falta de diversificação pode prejudicar os seus investimentos, mas existem diversos exemplos no mercado financeiro. Na renda variável, por exemplo, a desvalorização no preço de uma ação causa prejuízos caso você realize a venda do ativo.

Qual é a importância da diversificação?

Entendendo o conceito de diversificação de investimentos, é mais fácil identificar a sua importância. A estratégia ajuda a mitigar os riscos gerais da carteira, enquanto também proporciona mais equilíbrio.

Mesmo investidores com perfil arrojado precisam reduzir as possíveis chances de perdas e proteger o patrimônio. Aqui, a distribuição equilibrada do portfólio é uma das principais soluções. Com a prática, os resultados não ficam atrelados a apenas um ativo específico, manejando os riscos.

Quais são os benefícios da diversificação de investimentos?

Os benefícios da diversificação não se restringem à diluição dos riscos. Confira outras vantagens de ter uma carteira de investimentos diversificada:

Oportunidade de melhor rentabilidade

Uma das maiores vantagens de diversificar os investimentos é aumentar suas possibilidades de ganhos. Existem inúmeras alternativas no mercado que podem trazer retornos mais atraentes para os investidores. No entanto, elas também podem apresentar maiores riscos.

Por isso, seu capital deve estar bem distribuído entre elas, ajudando a buscar mais ganhos, enquanto mantém certa segurança. Ademais, lembre-se de que deixar a sua carteira concentrada em um único investimento pode ser prejudicial. Isso vale mesmo quando se conta com opções de baixo risco.

Quem investe apenas na poupança, por exemplo, muitas vezes vê o seu dinheiro perder parte do poder de compra. Afinal, em alguns períodos, ela rende menos do que a inflação. Com isso, ela afeta negativamente o patrimônio, mesmo sendo considerada segura.  

Maior equilíbrio da carteira

Quando você faz uma distribuição do portfólio, está buscando equilibrar a carteira para que possíveis perdas sejam compensadas por ganhos em outros investimentos. Portanto, essa estratégia permite um melhor manejo de risco, reduzindo as chances de sofrer grandes perdas.

Aprendizado sobre investimento

Quando você diversifica a carteira, está aprendendo mais sobre o mercado financeiro. Isso porque é necessário estudar e conhecer o funcionamento das alternativas disponíveis para fazer boas escolhas. A partir disso, você pode fazer pequenos aportes para ganhar confiança e experiência.

Com o tempo, investir se tornará algo simples, pois você terá uma estratégia mais consolidada para seguir. Então aproveite a oportunidade para aumentar seus conhecimentos e ter um preparo maior para tomar decisões financeiras.

Quais são as alternativas de diversificação de investimento?

Existem diversas maneiras de diversificar os investimentos, mas não há uma estratégia ideal que deva ser seguida por todos. Isso dependerá do seu perfil e objetivos, então é preciso encontrar um método que você consiga seguir e que atenda às suas necessidades.

Uma das formas de fazer isso é diversificar classes de investimento. Inclusive, a porcentagem de renda fixa que cada investidor tem na carteira é um dos fatores que diferencia um perfil arrojado do moderado.

A tendência é que o arrojado se arrisque mais e busque mais alternativas na renda variável. Mas isso não significa que ele não pode investir em títulos públicos para construir sua reserva de emergência, por exemplo. Nesse caso, a medida costuma ser importante para a proteção do capital.

Outro ponto a ser considerado é a diversificação entre prazos (curto, médio e longo), assim como entre mercados. É possível se expor a alternativas do exterior, como forma de proteger a carteira de crises locais ou potencializar os ganhos.

Exemplo disso são os BDRs (brazilian depositary receipt) e os ETFs (exchange traded funds) lastreados em índices internacionais. Nesse caso, a vantagem é a possibilidade de investir por meio da bolsa de valores brasileira (B3), facilitando o acesso aos investidores.

Como diversificar os investimentos?

Agora que você sabe o que é a diversificação de investimentos e a importância da estratégia para a carteira, vale entender como colocá-la em prática. Confira algumas dicas:

Conheça seu perfil de investidor e seus objetivos

É fundamental conhecer a sua tolerância ao risco antes de diversificar a carteira. Isso porque o seu perfil de investidor guiará as suas decisões de acordo com os investimentos mais adequados. Assim, é possível ter uma composição de carteira mais alinhada às suas necessidades.

Também é importante conhecer o tripé dos investimentos — segurança, liquidez e rentabilidade — e como ele se aplica às alternativas do mercado. Sem esses elementos, fica inviável compor uma carteira equilibrada.

Se o objetivo é ter maior rentabilidade, por exemplo, pode ser necessário abrir mão de segurança e liquidez. Do mesmo modo, se você prioriza segurança e liquidez, a rentabilidade tende a ser menor. Logo, considere os seus objetivos para entender quais características priorizar em cada aporte.

Faça escolhas descorrelacionadas

Alguns investimentos são correlacionados positivamente. Isso acontece, por exemplo, quando o preço de vários ativos sobe em determinada movimentação do mercado. Além disso, eles podem ser inversamente correlacionados, quando a oscilação entre eles é inversa — um sobe e o outro desce.

Compreender essa dinâmica é necessário para fazer escolhas mais eficientes. Afinal, se você possui muitos ativos com correlação positiva, pode haver a falsa diversificação. O motivo é que eles apresentarão movimentos semelhantes diante das oscilações do mercado.

Por outro lado, quando a correlação é negativa, o risco é mais equilibrado, pois as quedas em certos ativos são estabilizadas pela subida de outros. Assim, escolhas descorrelacionadas podem auxiliar na composição de um portfólio mais sólido. 

Como você viu, conhecer a estratégia de diversificação e saber aplicá-la corretamente é fundamental para o sucesso nos investimentos. Sem isso, você pode ter grande parte do seu capital exposto a riscos desnecessários, prejudicando o desempenho da sua carteira.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Então complemente a leitura e confira cinco passos para iniciar um planejamento financeiro eficiente!


Compartilhe: